Entrevista com Rachel Brathen, a Yoga Girl, sobre o processo Path of Love

Rachel Brathen, a Yoga Girl

 

Nascida na Suécia e morando em Aruba, Rachel Brathen, 27 anos, mais conhecida como “Yoga Girl”, é um fenômeno do Instagram, instrutora de yoga internacional, autora de best-sellers do New York Times, oradora motivacional e muito mais.

 

Path Retreats: Como você ouviu falar sobre o Path of Love?

Minha mãe fez o Path of Love em 2008 quando eu tinha 20 anos e vi como o processo a ajudou. E eu vinha pensando em fazer desde então. Na verdade, eu fiz alguns grupos terapêuticos inspirados no Osho quando tinha entre 18 e 19 anos, mas minha mãe me dizia que o Path of Love era muito mais profundo e então eu sabia que esse era “o grupo” a ser feito. Mas, obviamente, eu não estava preparada quando tinha 20 anos.

 

Path Retreats: Como o Path of Love se relaciona com a sua prática de Yoga?

Ele realmente me fez perceber como a minha prática de yoga era superficial – Vinyasa Flow, mas eu improviso bastante e trago diversos tipo de influências diferentes – vinha sendo. Eu pratico yoga há 10 anos e vem sendo maravilhoso para a parte física e eu sempre também me concentro na abertura do coração em meus ensinamentos, mas no Dia 3 de Path of Love eu fiz a Postura da Criança no meu mat de yoga e na verdade, pela primeira vez, senti meu coração realmente atingindo e tocando no chão. Isso foi fenomenal e que nunca acontecido comigo antes. Por causa de todo o trabalho emocional que eu vinha fazendo, eu consegui sentir meu coração dessa maneira. Foi uma sensação maravilhosa.

 

Path Retreats: Por que agora era o momento certo para você fazer o Path of Love?

Na verdade eu me inscrevi para o Path of Love três vezes, mas finalmente consegui fazer na Alemanha desta vez. Dois anos atrás, algumas coisas terríveis aconteceram comigo. Perdi meu melhor amigo logo antes do meu casamento em um acidente de carro. Depois meu querido cachorro morreu e meu avô faleceu. Eu sabia que precisava tomar um tempo, mas, ao invés disso, fiquei mais ocupada. Eu não parei, estava ensinando yoga em todo o mundo e minhas aulas ficavam cada vez maiores. O status da minha mídia social também estava crescendo. E, no entanto, eu sabia que teria que me dar algum tempo e esse era o momento para mim. No final, eu estava tão determinada que fiz um vôo de 14 horas para Colônia para finalmente poder participar.

 

A Yoga Girl Rachel Brathen liderando aula na Suécia

 

Path Retreats: Você já tinha ouvido falar sobre Path of Love antes?

Não, eu só tinha um desejo de ir. Eu vi o efeito que teve com a minha mãe, mas nunca falamos sobre isso. Confiei que fosse a coisa certa no momento certo.

 

Path Retreats: Você estava nervosa?

Eu estava calma e despreparada! Mas quando começou, eu fiquei com muito medo.

 

Path Retreats: O que aconteceu?

Na verdade, tive medo de que as pessoas me reconhecessem. Tenho um grande perfil público (2,1 milhões de seguidores do Instagram) e me preocupei com o quanto isso me afetaria e se eu poderia ser eu mesma. Na verdade, consegui ficar em um quarto individual, porque esse também era um dos meus medos, de compartilhar um quarto, mas, no terceiro dia, tive uma experiência muito intensa e negativa no meio da noite e me ví sozinha. Naquele momento, desejei estar compartilhando um quarto.

 

Path Retreats: Quais foram os desafios para você?

Bem, eu estava familiarizada com a Meditação Dinâmica (meditação ativa do Osho) e também tenho asma. Eu sei que minha asma é baseada no medo na maior parte do tempo e é uma maneira que minha mente me controla. Entretanto, descobri que não conseguiria passar o retiro inteiro sem usar minha medicação. E no final, aceitei isso e ajudou.

 

Path Retreats: Como foram os momentos de compartilhar?

Assustadores. Eu percebi que eu compartilhava tanto de mim mesma nas mídias sociais de forma tão profunda, mas, quando veio o momento de fazer isso ao vivo, fiquei bastante assustada. Demorou alguns dias para construir a confiança, mas quando senti essa confiança, comecei a compartilhar muito mais. Esta foi uma grande jornada para mim sobre vulnerabilidade e de poder expressá-la para os outros. É um grande alívio poder fazer isso

 

Path Retreats: Como foi ter esse espaço para sentir?

Durante os primeiros dias, eu literalmente não conseguia parar de chorar. Eu estava tão exausta que ficava encostada nas paredes durante os intervalos. Tinha muita tristeza para expressar. Foi difícil para mim ser tão vulnerável.

 

Path Retreats: O que mais você descobriu sobre você?

Que eu tenho uma forte conexão com a minha mãe e como é bom estar separada também. Este foi um grande ensinamento para mim. Eu também aprendi a realmente deixar ir – let go. Eu sempre pensei que estava deixando ir na ioga, mas este é um nível totalmente novo.

 

Livro de Rachel Brathen. Yoga Girl

 

Path Retreats: Como você acha que vai usar o que vivenciou no Path of Love em suas aulas de yoga?

Eu já estou usando. No Colorado, na semana passada, eu dei uma aula para 600 pessoas onde pedi que elas formassem duplas e compartilhassem por dez minutos. Isso foi arriscado porque elas se inscreveram em uma aula de ioga. Eu realmente não sabia como isso funcionaria, mas elas adoraram se conectar em um nível mais profundo.

 

Path Retreats: E como você está levando o Path of Love na sua vida pessoal?

Meu marido estava um pouco nervoso sobre o que aconteceria, mas ele está amando este meu lado mais real que voltou. O Path of Love me colocou em contato com meu propósito em um nível mais alto. Eu me sinto agora também mais digna em ensinar yoga do meu jeito. O Path of Love me acendeu uma grande chama, um grande entusiasmo para fazer mudanças positivas no mundo.

 

 

 

Publicado por Rose Rouse / Path of Love

Traduzido por UNDO – Retiros & Experiências

(Foto via Instagram)

Categories: Entrevista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »